quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

In-Sônia

Assistir televisão à noite, depois de um longo dia de trabalho e um jantar não tão light é fatal, lá vem Morfeu me chamar. Desligo a TV, levanto do sofá, caindo de sono, quase tropeço em Stich, o Maltês das meninas, que está passando umas férias comigo, até passar a TPM “assassina” da mãe. Atravesso aquele corredor interminável, de 4m de comprimento, trançando as pernas. Chego ao meu quarto, nem acendo a luz, vou espalhando roupas pra todos os lados, e de cueca “samba canção”, mergulho em "slow motion" na minha cama de colchão Queen Size. O King Size, infelizmente, é grande demais para o meu quarto.
- Vem Morfeu!!! Vem que eu sou teu!!! E me jogo naqueles braços, que logo começam a me envolver. Humm...Isso soou meio gay, não foi???
- Mas, "pera aí", esses braços... Eu conheço!!! Não!!! Você não é Morfeu!!! É Sônia!!!
- Oi, gostosão... Ela responde com intimidade.
- E aí, sentiu saudades???
- Não, Sônia!!! Por favor!!! Cadê Morfeu??? Me deixa dormir!!! Eu tô precisando!!! Volta Morfeu!!! Me ajuda, porra!!! Grito em vão...
- Aaah!!! Vc vai me desprezar assim??? Vai resistir aos meus carinhos??? Cochicha em meu ouvido, enquanto suas mãos ágeis dançam pelo meu corpo. Aperta firme o meu pênis e diz: - Eu du-vi-do!!!
- Pô, você não entende... A gente já se viu essa semana... Assim eu não aguento!!!
- Relaxa, gato. Vem, fica comigo. Eu já tô toda molhada pra você...
Eu tentava resistir, mas minhas defesas começavam a falhar.
- Assim, dentro de mim...Encaixa!!! Ui...Que delícia!!!
- Ah, Sônia...Soninha...Eu juro que não queria...
Quando me dei conta já estava dominado... Dentro de Sonia, In-Sônia!!! E completamente sem sono!!!
Nosso sexo sempre começava assim, irresistível. Sônia é muito sedutora e tem um corpo maravilhoso. Mas acabava se tornando arrastado, interminável, e, o pior, sem clímax, não havia gozo, orgasmo, e sim um desgaste muito grande de energia e tempo. Tanto vai e vem pra nada. Sinceramente, essa repetição insalubre, sem a liberação de Endorfina, me deixava muito irritado!!!
- Chega!!! Sônia, vai pra casa, vai!!! Você não tem outro compromisso???
- Deixa eu ficar mais um pouquinho perto de você, vai???
- Não quero ser chato, mas preciso descansar. Eu trabalho amanhã!!!
- Ah, vai...
Não adiantava. Porta alguma ou fechadura eram empecilhos para ela entrar. E por mais que eu implorasse, Sônia só ia embora quando ela sentia vontade. Alguns dias, partia, quando notava que minha saúde não suportava mais o esforço, e em outros, só ao nascer do dia. Quantas vezes fui trabalhar sem ter pregado os olhos por um só instante sequer. A falta de sono torna meu dia um completo stress.
Após o sexo frustrante, para as noites não serem um total desperdício, comecei a tentar ser produtivo. Escrevo matérias adiantando o trabalho, crônicas, toco violão, leio, assisto filmes... E, uma coisa tenho de admitir, ela me acompanha por horas e mais horas, demonstrando o maior interesse. Às vezes até me surpreende:
- Gostei!!! O jeito como você descreve a dinâmica musical da orquestra... Quase consigo vê-los tocando. Tem vida, graça, movimento!!! God gave you style and gave you grace*...Cantarola.
- Obrigado. Apesar do cansaço, agradeço a gentileza e acredito em sua sinceridade. Mas o preço a pagar é caro demais. É como um vício de longa data, cada vez menos prazer, por um custo cada vez mais alto.
Nunca fui de dormir cedo, mas depois que entrei nessa relação louca com Sônia, a situação saiu completamente de meu controle.
- Sônia, veja bem, não é que eu não goste de você, mas entenda, eu não sou mais um menino, e não aguento mais o ritmo de nossa convivência. Eu quero parar!!! Eu preciso parar!!! Eu preciso dormir!!!
- Eu gosto tanto de você!!! Por que você sempre me rejeita??? E começava a chorar, era sempre assim. Chantagista!!!
Mas de pouco adiantavam nossas discussões, pois invariavelmente ela voltava. E voltava como se nada tivesse acontecido. Sônia não tinha o mínimo de “se mancol”.
Eu não sabia mais o que fazer...
Meu amigo e editor chefe, Fabrício Quintana, preocupado com minha saúde, me deu o cartão de um terapeuta de distúrbios do sono:
- Liga pra esse cara!!! Ele me deve um favor. Coloquei uma matéria falando bem dele na nossa revista há um tempo atrás. Não aguento mais ver você com essa cara de Zumbi!!!
Mas como eu ia fazer terapia para mudar a vontade de Sônia???
Liguei!!! Puro desespero. Eu precisava me livrar dela.
Falei à beça!!! Depois, o tal terapeuta me colocou em uma maca com vários fios na cabeça e um Mantra hipnótico tocando ao fundo. Dormi de roncar!!! Saí de lá com duas caixas, amostra grátis, de um remédio tarja preta. Um ansiolítico poderoso, eu suponho.
Como meu sucesso, dependia da vontade de Sônia de me deixar em paz, e isso, com certeza, não seria de sua espontânea vontade, preparei uma armadilha. Deitei com dois comprimidos na boca e assim quando ela viesse me beijar, passaria um comprimido para a boca dela. Ficaríamos relaxados, os dois, nos braços de Morfeu.
Acordo zonzo, perdi a hora do trabalho!!! Existe uma nuvem entre meu cérebro e meu corpo. Merda!!! Sônia não apareceu!!! Tomei os dois comprimidos. Como ela percebeu??? Sônia realmente é muito esperta!!!
Um café forte e um banho frio. Consigo ir trabalhar.
Fabrício desdenha:
- Quer dizer que ou não dorme nada ou dorme demais???
Nas últimas noites, Sônia não tem aparecido. Ela sabe que posso ter algo preparado.
Tenho conseguido dormir, mas acordo sempre preocupado. E quando o remédio acabar, será que ela vai voltar???

*God gave you style and gave you grace: da música "God put a smile upon your face" do grupo Coldplay.
Nota do autor:"Grande parte da população mundial sofre de algum distúrbio do sono. Eu sou um deles. Tenho um sério problema de Insônia. E me perdoem o trocadilho infame, mas como não tenho uma namorada Sônia, eu preferia sinceramente estar “Out-Sônia”.

Um comentário:

  1. Kan, seus textos são fantásticos! Comecei a ler displicentemente (me desculpe, mas o que tem de gente fazendo blog hoje em dia é surreal. E como quase todos eles são altamente desinteressantes ou escritos de maneiras analfabeticamentes irritantes, acabei criando, como defesa, um jeito especial de ler blog-dos-outros. Leitura dinâmica e desinteressada), porém fui pego de surpresa com a criatividade e o jeito despretencioso e agradável de sua narrativa. Resultado: comecei em São Paulo, às 8h37 da manhã, e terminei com In-Sonia. Não é que seu blog seguiu o caminho contrário da maioria dos blogs alheios e ao invés de tirar meu sono só me fez ficar mais ligado?! Parabéns, garoto! Continue escrevendo. Tu leva jeito pra coisa.
    Abraços,
    Ruy Barreto.

    ResponderExcluir